sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Esses poemas, mais que quaisquer outros,
estão cheios de noites e madrugadas adentro.
Cheios de uma dor tão elevada que é capaz
de nos fazer rir, apesar de tudo.
Cheios de dias na vida de uma luz.
São poemas de vitalidade, apesar do adeus...

Alice Ruiz

7 comentários:

  1. Lindo! Bom fim de semana .. . =)

    ResponderExcluir
  2. Dor que faz rir?

    Ainda atinjo esse estado espiritual demasiado elevado.

    ResponderExcluir
  3. Até hoje ainda acho um impasse quando os escritores escrevem seus textos e dizem "é pura ficção". Foi mal a ausência. Vida corrida, essas coisas. Obg pela presença!

    beijo.

    ResponderExcluir
  4. Vitalidade, é disso que precisamos! :]

    ResponderExcluir
  5. Adorei o passeio por aqui!
    Voltarei sempre...
    Bjos
    Elenir

    ResponderExcluir
  6. Eu preciso ter mil vidas, pra aprender a ter essa "Dor elevada".
    Eu chego lá!

    Mrs Ruiz, maravilhosaaaaaaaaaaaaaaa!

    Saudade daqui, menina querida!

    Beijo meu!

    ResponderExcluir