quarta-feira, 4 de julho de 2012

doidivanas

Egon Schiele
esta doida de sentires e de pedras
de nublares de viveres e de luas
de sonhares de tornados de dilúvios

esta insana das noites seculares
dos falares dos silêncios dos transtornos
das tempestades desaguares e de lama

esta louca dos amores impossíveis
das demências dos pulsares dos entornos
das claridades dos escuros e dos vãos

esta mulher como tant(r)as
habita-me

Líria Porto, in: De Lua

2 comentários:

  1. Sublime remate... «esta mulher como tat(r)as Habita-me»...

    ResponderExcluir
  2. também tu me habitas, jenifer! besos

    ResponderExcluir