quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

"Les Amours Imaginaires"

A História de Adèle H.
As figuras imaginárias têm mais relevo e verdade que as reais.

O meu mundo imaginário foi sempre o único mundo verdadeiro para mim. Nunca tive amores tão reais, tão cheios de verve, de sangue e de vida como os que tive com figuras que eu próprio criei. Que loucura! Tenho saudades deles porque, como os outros, passam...

Fernando Pessoa, in: Livro do Desassossego. Ed. Companhia das Letras

5 comentários:

  1. Olá, parabéns pelo seu blog.
    Te convido a conhecer o meu,
    http://carmasepalavras.blogspot.com/

    ;)

    ResponderExcluir
  2. Jeni,
    Quantas saudades minha amiga!
    Como teu espaço está lindo!
    Vi também os meus poemas aqui com
    figuras tão bonitas, que me encheu
    de felicidade!Por todo o cuidado
    que tens neste teu cantinho.
    Como sei que gostas de músicas novas
    descobri ai um cantor, está no meu
    novo post. Aguardo tua visita
    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Incrível como também as figuras imaginárias desbotam e te magoam.

    ResponderExcluir
  4. eu gosto desse poema!
    sim, eu gosto.

    ResponderExcluir
  5. Saudades das postagens da Jeni!

    ResponderExcluir