quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Escombros de Paris

Canções de Amor
Cheguei cheia de vida.
Vinha saudosa e estremecida.
Trazia-te duas flores
Eram jasmins-do-cabo.
Puseste-as num copo azul
Cheio pela metade.
Pedi-te:
Fica ao meu lado.
Mas tu corrias pela casa
Atento a providências mil.
Na cena preparada
Quartetos de Beethoven
Portas abertas
A gata que pulava.
Uma cozinha
A todo vapor funcionava.
Sob um epíteto qualquer
Eu me esvaía.
E quando por fim
Tiraste do bolso
Aquele lenço negro
Comprado em Paris
Embebi-me toda
Nos signos da morte
E também morri.

Judith Grossmann, in: Vária Navegação: mostra de poesia. Ed. Fundação Casa de Jorge Amado

5 comentários:

  1. Profundo, não conhecia Judith Grossmann é a primeira coisa dela que leio, já gostei... vou procurar mais escritos delas...

    Beijos, beijos!

    Ps.: promoções no Devaneios Fugazes, já está participando? Se não, passa lá e confira, pode ser que lhe interesse.b-jux

    ResponderExcluir