segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Segredo

A poesia é incomunicável.
Fique torto no seu canto.
Não ame.

Ouço dizer que há tiroteio
ao alcance do nosso corpo.
E a revolução? o amor?
Não diga nada.

Tudo é possível, só eu impossível.
O mar transborda de peixes.
Há homens que andam no mar
como se andassem na rua.
Não conte.

Suponha que um anjo de fogo
varesse a face da terra
e os homens sacrificados
pedissem perdão.
Não peça.

Carlos Drummond de Andrade, in: Brejo das Almas. Ed. Record

4 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Lindas são as poesias de Drummond.

    ResponderExcluir
  3. estimo o Brejo das Almas...

    "Carlos, não se mate.."


    suave, denso, belo

    ResponderExcluir
  4. Você sempre acerta, nunca vi!



    "Não ame."

    ResponderExcluir