sábado, 20 de agosto de 2011

em 17 de maio 1949

Viver assim não é viver - podemos sofrer da carência de algumas coisas, mas não dos fatores vitais que nos animam. Falta-me tudo, a paz, a inspiração, a vontade de continuar... Alguma coisa está AUSENTE de mim. Sinto, caminhando em ruas cheias de gente e densas de um frenético fervor pela vida, que sou apenas um grande vazio sem motivo.

Para mim, a existência escorre como se eu contemplasse seu espetáculo através de vidraças baixadas.

Lúcio Cardoso, in: Diário Completo. Ed. José Olympio

3 comentários:

  1. Texto muito sincero. Revelador de um estado intranquilo da alma.

    ResponderExcluir
  2. Denso... existencialmente denso.

    ResponderExcluir