segunda-feira, 9 de maio de 2011

Da inutilidade da palavra


Voltou-se ainda uma vez. Mas ele já desaparecera na multidão. Aquela hora, a estação estava sempre superlotada. Gente apressada. Perdida entre as pequenas mazelas do dia-a-dia e os sonhos desfeitos. Retribuindo cuidado e carinho com ironia. Quando não com agressão.

Decidiu ser melhor emudecer. E nunca mais se ouviu a sua voz.

Márcia Maia

3 comentários:

  1. Não é melhor não. Outra pessoa nos ouvirá, melhor :)

    Super Pollyanna hoje!

    ResponderExcluir
  2. emudecer parece algo triste, se bem que ás vezes necessário.

    grande abraço e ótima semana.

    ResponderExcluir
  3. Darling, mais um autor que descobri em teu reino! Procurei por tudo o livro até que descobri o e-mail dele, hoje vou depositar e ele em pessoa me mandará! Já trocamos umas palavras e baixei o e-book, mas esse livro dá vontade de ficar abraçada, não é?
    Bjs friozinhos do sul!

    ResponderExcluir