terça-feira, 23 de novembro de 2010

Como é que se escreve felicidade?

Guermante

- Eu estava tão feliz, Érica - diz Luísa ao telefone.
- E vai continuar feliz, porque está caminhando na direção de você mesma.
- Você não entende, amiga. Eu tenho raros dias felizes, contínuos, como foram os últimos. Até...
- E achas que não mereces ser feliz, Luísa? - aumentando o tom da voz.
- Todos merecem, suponho.
- Aproveite os novos ares, as pessoas especiais, fique apenas com o que for bom. Seja feliz!
- Claro. Prozac ajuda?
- Luísa! - o nome soou como um supetão.
- Vou alí chamar o "Trem da Alegria". Um beijo, Érica.

Vanessa Souza Moraes, in: Cadernos de Luísa

10 comentários:

  1. Com Prozac não vale, é alegria mascarada.
    Com Vanessa vale, são palavras cheias.

    ResponderExcluir
  2. "como é que escreve felicidade?", sabe desaprendi!

    ¬¬'

    ResponderExcluir
  3. Mais Platão, menos Prozac. Um beijo carinhoso

    ResponderExcluir
  4. É o que tem pra hoje..rs

    Adorei!

    Beijos pra Ti

    ResponderExcluir
  5. Bom, sempre bom estar aqui. ^^

    ResponderExcluir
  6. A busca incessante pela felicidade...

    ResponderExcluir
  7. Essa busca não cessa, não é mesmo?!

    :)

    Adorei.

    ResponderExcluir
  8. Aliás, estar num blog tão lindo já é "acontecer alguma coisa bem bonita" para mim.

    ResponderExcluir
  9. Depois eu te mando por e-mail foto que eu tirei com o Benjamin. Que olhos são aqueles? :)

    ResponderExcluir