domingo, 29 de agosto de 2010

Amanda Cass
Ai de mim, se for amor, como atormenta.

Gabriel García Márquez, in: Memória de Minhas Putas Tristes. Ed. Record

4 comentários:

  1. história gostosa essa. legal teres pincelado essa frase de lá :)

    beijos.

    ResponderExcluir
  2. e atormenta mesmo!
    obrigada pela visita (:

    ResponderExcluir
  3. ô, e como atormenta...

    ResponderExcluir