terça-feira, 24 de agosto de 2010

A Adriana Calcanhotto

Berlim 1.7.93

Adriana C.
Minha sempre deusa, continuo andando pelo mundo, chorando ao telefone, prestando muita atenção, divertindo gente, a fome dos meninos da Iugoslávia nas ruas ricas da West-Berlim dói tanto ou mais quanto os nigrinhos do Rio, há dez meses acordo e não tenho ninguém do lado - os meus amigos, cadê? — vou/irei à Tchecoslováquia, talvez Hungria, Jakarta, mas perdi alguma coisa no Brasil, "à tarde Maria dorme", tenho medo, matam turcos e a estrada é enorme, mas tua voz e tua música me aconchegam entre Paris/Amsterdam/Berlim/Praga/London/ tudo é muito igual e belos os alemãezinhos ao sol do verão fugaz deles. Te mando retalhos e amor.

Caio F.

Caio Fernando Abreu, in: O Essencial da Década de 90. Ed. Agir

9 comentários:

  1. Ahhh...! =D
    Pela janela do quarto, pela janela do carro, pela tela, pela janela, quem é ela? quem é ela? eu vejo tudo em quadrado... remoto controle...

    ResponderExcluir
  2. Ah adorei seu blog!

    Grande Beijo.

    ResponderExcluir
  3. Andando pelo mundo, chorando ao telefone...

    :)

    ResponderExcluir
  4. Ahhhhhhhhhhhhhhh Caio, Caio...

    Me muero....

    Beijoooooooo,minha lindaaa!

    ResponderExcluir
  5. ahh..
    fusão encantadora esta [Adriana e Caio]

    *esta sempre fará parte da trilha sonora de minha vida.

    ResponderExcluir
  6. Adriana é diva total! :D

    ResponderExcluir