quinta-feira, 27 de maio de 2010

Exercício

Ciência, amor, sabedoria,
tudo jaz muito longe, sempre
- imensamente fora do nosso alcance.

Desmancha-se o átomo,
domina-se a lágrima,
já se podem vencer abismos
- cai-se bem, porém, logo de bruços e de olhos fechados,
e é-se um pequeno segredo
sobre um grande segredo.

Tristes ainda seremos por muito tempo,
embora de uma nobre tristeza,
nós, os que o sol e a lua
todos os dias encontram
no espelho do silêncio refletidos,
neste longo exercício de alma.

Cecília Meireles, in: Inéditos, 1955 / Antologia Poética. Ed. Nova Fronteira

3 comentários:

  1. Está aí uma poetisa que merece ser vista com mais calma...

    ResponderExcluir
  2. Oi...

    Você anda ocupada demais, é??
    já deixou saudade aqui....

    Esse poema da Cecília é lindo, né??/
    derreto-me, inteira!!!

    Uma beijoca!
    Mell

    ResponderExcluir