sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Isabel de Sá

Chegam em grupos
mulheres-bonecas apunhaladas.
Parecem fugidas
da catástrofe. Algumas
possuem elementos masculinos,
exibem correntes quebradas.

*

Bispos, rostos de luxúria
e tirania
povoam o insólito mundo dos homens
anônimos das cidades.

Amantes encontram-se, furtivamente.
Frisos de belos figurantes
sonham com amores pecaminosos.

*


Nos bordéis reina a fantasia
de um universo falocrático
onde personagens vestidos
com paramentos religiosos
têm poder sobre os
prostitutos.

Isabel de Sá, in: O Brilho da Lama (Das Trevas para a Luz) 1999

Nenhum comentário:

Postar um comentário