sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Tão cúmplices, as palavras

Rebecca Rebouché

Às vezes vêm de muito longe:
de fatigadas viagens,
de mortes prematuras,
de excessivas solidões.
Mas vêm.
E trazem a inicial pureza das fontes.
E a lâmina do silêncio.
E a desordem da noite.
E a luz extenuada do olhar.
Tão cúmplices, as palavras.

Graça Pires

3 comentários:

  1. Adoro essas artes da Rebecca Rebouché.
    Bonito poema.

    Flores.

    ResponderExcluir
  2. "Tão cúmplices, as palavras."

    Adoro seu blog. Continuo lendo.

    ResponderExcluir