sexta-feira, 11 de maio de 2012

quase um poema de abril


o cheiro de terra molhada
desata as trancas da memória

a noite entorna-se

Márcia Maia

Um comentário:

  1. Maravilhoso trecho!

    Cá anoiteço junto a ela,


    Bjkas

    ResponderExcluir