terça-feira, 1 de maio de 2012

embarcação


carrego coisas pesadas e quase não mais flutuo. há tempos, navego sem encontrar portos pelo caminho. lugares onde se possa parar. descarregar as cargas amontoadas. atirar o que é sobra ao chão do cais. navego enquanto posso, sem conseguir me livrar da bagagem. das pedras dentro das malas. sabendo que a mudança foi com a embarcação e não com o mar. navego, sabendo que afundar é questão de tempo.

Eduardo Baszczyn

Um comentário:

  1. Meu Deus que coisa linda demais e doída demais de se dizer...

    ResponderExcluir