sexta-feira, 8 de abril de 2011

O baixo astral

Irisz Agocs
Enquanto dura o baixo astral, perco tudo. As coisas caem dos meus bolsos e da minha memória: perco chaves, canetas, dinheiro, documentos, nomes, caras, palavras. Eu não sei se será mal olhado. Pura casualidade, mas às vezes a depressão demora em ir embora e eu ando de perda em perda, perco o que encontro, não encontro o que busco, e sinto medo de que numa dessas distrações acabe deixando a vida cair.

Eduardo Galeano, in: O Livro dos Abraços. Tradução de Eric Nepomuceno. Ed. L&PM

8 comentários:

  1. Minhas perdas de mim mesma são exatamente assim....

    ResponderExcluir
  2. ".. . e sinto medo de que numa dessas distrações acabe deixando a vida carir."

    O meu maior medo.

    Um beijo D. moça!

    (sexta-feira, sexta-feira, sexta-feiraaa)

    ResponderExcluir
  3. Ups .. . a comentário acima é da minha pessoa.


    Rívea A. Duarte

    ResponderExcluir
  4. São as perdas e quedas que nos constituem...

    Um beijo!

    ResponderExcluir
  5. taí um livro que abraça mesmo!

    beijos

    ResponderExcluir
  6. Opa... segura! :}




    Adorei o desenho*

    ResponderExcluir
  7. E eu concordo.
    Beijos meus querida e um bom final de semana!

    ResponderExcluir