domingo, 18 de abril de 2010

Toque de Veludo
[...] Som dentro do som, cena dentro da cena, mulher dentro de mulher - como ácido revelador de uma escrita invisível. Uma mulher dentro de outra eternamente, num longo cortejo, dividindo-me o pensamento em fragmentos, em quartos de tom que nenhuma batuta de orquestra pode voltar a reunir.

Anaïs Nin, in: A Casa do Incesto. Ed. Assírio e Alvim

5 comentários:

  1. Tenho Incesto que é, claro, tesão.

    ResponderExcluir
  2. Sinto-me inteira assim, uma mulher dentro da outra, cheia de tesão!
    Obrigado por comentar meu texto!
    Queria poder ter maior contato, você me parece um encanto!
    grande beijo e obrigado sempre pela poesia nossa de cada dia!
    Mell

    ResponderExcluir
  3. "Quem nunca sentiu uma paixão, nunca vai ser nada não". É isso. E um pouco mais. Beijos, florzinha.

    ResponderExcluir